Navigation Menu+

Sobre a Artista

Artista plástica, por vocação;
Fotógrafa, por fascínio e adoração; 
Musicista, de alma & coração;
Poetisa, em momentos de inquietação; 
Eterna apaixonada pela Índia e por crianças – por encantamento e por afinação com suas vivas e intensas cores, fonte de inspiração – …
… e Pisciana, com lua em Peixes & ascendente Escorpião, amante das Artes, em suas mais diversas formas de expressão.
(Por Paola Carraro)

” Paola Carraro é uma artista de múltiplos talentos: é artista plástica, poetisa, musicista (toca tampura, instrumento de cordas indiano) e é fotógrafa.
A Índia é sua maior inspiração e está presente em todas as suas formas de arte, desde seus quadros (que retratam as cores vivas e intensas da Índia através de imagens de deuses, simbolos e figuras hindus), a sua música (música clássica indiana e fusões desta com a música ocidental), seus poemas e fotografias que, em sua maioria, retratam a vida e o cotidiano de pessoas de diferentes culturas e realidades, sempre destacando o colorido de cada imagem capturada.
Em 2011, Paola esteve na Índia, onde mergulhou na cultura indiana de uma forma mais integral: praticou meditação, visitou diversas cidades, de norte a sul do país, estudou música clássica indiana (fez aulas de sitar, instrumento de cordas indiano), aprendeu também Kathak (dança clássica indiana), e foi de lá que trouxe sua Tampura, instrumento de cordas que toca em apresentações, eventos e recitais de música clássica indiana. “
Por : Elza Cohen Soares  para o blog India Link Brasil :
http://elzacohen.blogspot.com.br/2014/03/a-india-como-inspiracao-paola-carraro.html

 

 

Quem sou?
“Sou beduína,
e rasgo meu véu;
Como Rapunzel,
corto minhas tranças,
E lanço ao mar,
A Iemanjá.
Meio Meduza, com síndrome de camaleão,
Sigo o fluxo … vivo em constante mutação.
Aliás …
Para quem, de alguma forma, quiser me fixar;
Não custa avisar, pode até tentar, mas …
Uma questão:
Será que consegues conter um vulcão?
É …
Sou cigana;
Peregrina urbana;
Hippie-contemporânea;
Espécie rara;
Praticamente uma Deusa-profana.
Auto-didata,
com experiência em meditação,
Sou espiritualista,
mesmo sem religião.
Sem nenhum batismo,
referência,
ou tradição,
Apenas intuitiva por formação,
me graduei na vida,
em evolução,
e sou especialista em poder de transformação.
Do veneno,
da dor,
Chego à cura;
E, em lágrimas,
no riso,
ou ao chorar,
Sinto-me purificar.
Mantenho a leveza,
Abraço a incerteza,
Entrego-me,
E sigo com a certeza
de que
por detrás de qualquer incoerência,
ou contradição,
Há total coerência na voz silente de meu coração.”
 
Por Paola Carraro
 

 

Agradecimentos mais que especiais:

 Célia Cota Bensadon, Luiz Sérgio Carraro, Luiz Antônio Carraro (in memoriam),
Sandro Carraro,  Ana Lia Bensadon (In memoriam),   Gigio, Simi Bensadon (In Memorian), Kitty Simões Pinto, Josana Camilo, Patrícia Seixas,  Rosae Novichenko, Patrick Nicholas Korb,  Clélia Angelon, Denise Delfim, Eduardo Chohfe, Marcus Santurys, Elza Cohen Soares &
Reynaldo R. Martins